sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

PRESENTE DE ANIVERSÁRIO

Uma terceira postagem no Facebook que me deixou profundamente emocionada, foi um presente de aniversário postado em formato de palavras pela minha amigona Beatriz Myrrha...
Eh hoje, lindona!!!!! 
Sagitariana!!!! Uhu!
Menina... Que sua mao fique sempre cheia de flores e de outras maos.
Que seus olhos brilhem muito todas as constelações do zodiaco e as que estão por vir.
Que seus labios nao se cansem de contar belas historias e singelos poemas.
Que seus pacientes fiquem tão felizes na sua presenca que se esqueçam do corpo.
Que seu corpo flutue...
Que os ouvidos possam ouvir as mais belas canções e os mais profundos e sagrados silêncios.
Que a felicidade seja sua companheira de tricô!!!
E que nossa amizade seja sempre e eternamente coroada por cucas, queijos, cirandas e abraços!!!
Parabéns!!!!!

UM MUNDO MELHOR PARA NOSSAS CRIANÇAS

Uma outra postagem no Facebook que me deixou profundamente emocionada, foi da minha queridíssima amiga Maria do Rocio. Vou colar a fotomontagem que ela fez e o que ela escreveu, o que dispensará qualquer comentário meu.
Através de Léla Mayer vejo os encantadores de histórias, crianças, gente grande tornando nosso mundo melhor para nossas crianças e fazendo crianças melhores para este nosso mundo... Feliz Natal e Feliz Ano Novo a todos os encantados e reencantadores! É a qualidade do bom educador...
Fiquei muito, muito emocionada!! Indizível!! 

MENSAGEM DA MAMÃE ALICCE OLIVEIRA NOEL!!

O ano vai chegando ao fim e algumas palavras que me chegaram foram especialmente significativas, por isso gostaria de colocá-las aqui. Primeiro para que o registro seja mais definitivo, depois para que eu possa compartilhar, porque as palavras brincantes e os gestos encantadores precisam urgentemente ser compartilhados, para que a corrente do bem possa ser fortalecida. Vou iniciar pelas palavras encantadoras da Mamãe Noel Alicce Oliveira. 
Anteontem passei por esta foto da minha amiga Alicce Oliveira no Facebook e fiz o seguinte comentário: - Mamãe Noel, eu só quero uma bolsa cheinha de encantamentos, igualzinha à da Alicce Oliveira e um quadro igualzinho ao que está atrás de você!! Ah!! Manda um beijinho pra Alicce, se você falar com ela!!
Não tardou para chegar esta resposta: - Oi, linda, querida e encantadora Léla Mayer! Fico feliz em saber que tens tanto carinho pela Alicce Oliveira, com certeza vou dizer a ela. E quanto aos presentes encomendados, faremos da seguinte forma, todos os encantamentos contidos na bolsa estarão presentes contigo em todos os momentos que fores contar uma história e que todas as imagens contidas em todos os quadros dos artistas mato grossenses possam fazer parte do seu mundo da imaginação. Sendo assim, todos os seus desejos estarão contidos e eternizados em sua memória para sempre...Feliz Natal e vindouro Ano Novo, para ti e todos seus familiares... Beijos mágico! Assinado: Mamãe Noel
Dá pra ser mais encantador?!

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

A SEGUNDA FESTA SUSPRESA DOS QUARENTA!!

Não bastasse a SURPRESA e o susto que a turma de Fisioterapia Neuropediátrica me preparou na noite do meu aniversário. No dia seguinte a minha turma de estágio da manhã me fez uma nova surpresa. E dessa vez, definitivamente, lavaram a minha alma com as lágrimas que quase inundaram a sala dos estagiários, lá na FisioUnisc.
Lágrimas felizes, de pura emoção... Meus estagiários me deram de presente um lindo texto (logo pra mim, que sou apaixonada pelas letrinhas!) que as queridas Leila, Gabriela e Joziele leram e interpretaram.Tão lindo que quando leram, não teve quem segurasse a emoção.
Amados, não sei o que dizer, não tem como agradecer tamanho carinho!!
Mas preciso compartilhar com todos os meus outros amigos essa alegria poética!!
Aí vai o texto ...
LÉLA...
  Achou que tínhamos esquecido não é?????? HAHAHAHAHA (Risadas maléficas), impossível disso acontecer.
   Tem gente que tem cheiro de passarinho quando canta; de sol quando acorda; de flor quando ri. Ao lado delas, a gente se sente no balanço de uma rede que dança gostoso numa tarde grande, sem relógio e sem agenda. Ao lado delas, a gente se sente comendo pipoca na praça; lambuzando o queixo de sorvete; melando os dedos com algodão doce da cor mais doce que tem pra escolher. O tempo é outro e a vida fica com a cara que ela tem de verdade, mas que a gente desaprende a ver.
   Tem gente que tem cheiro de colo de Deus; de banho de mar quando a água é quente e o céu é azul. Ao lado delas, a gente sabe que os anjos existem e que alguns são invisíveis. Ao lado delas, a gente se sente chegando em casa e trocando o salto pelo chinelo; sonhando a maior tolice do mundo com o gozo de quem não liga pra isso. Ao lado delas, pode ser abril, mas parece manhã de Natal do tempo em que a gente acordava e encontrava o presente do Papai Noel.
   Tem gente que tem cheiro das estrelas que Deus acendeu no céu e daquelas que conseguimos acender na Terra. Ao lado delas, a gente não acha que o amor é possível, a gente tem certeza. Ao lado delas, a gente se sente visitando um lugar feito de alegria; recebendo um buquê de carinhos; abraçando um filhote de urso panda. Tocando com os olhos, os olhos da paz. Ao lado delas, saboreamos a delícia do toque suave que sua presença sopra no nosso coração.
   Tem gente que tem cheiro de cafuné sem pressa; do brinquedo que a gente não largava; do acalanto que o silêncio canta; de passeio no jardim. Ao lado delas, a gente percebe que a sensualidade é um perfume que vem de dentro e que a atração que realmente nos move não passa só pelo corpo; corre em outras veias; pulsa em outro lugar. Ao lado delas, a gente lembra que no instante em que rimos, Deus está dançando conosco de rostinho colado e a gente ri grande que nem menino arteiro.
   Algumas almas são perfumadas, porque acreditamos que os sentimentos também têm cheiro e tocam todas as coisas com os seus dedos de energia. Você é alguém assim, perfuma muitas vidas com sua luz e suas cores.
                                                                         
   Era uma vez uma menina que queria ser gente grande para aprender muitas coisas. Quando cresceu aprendeu, entre outras coisas, como é que a gente aprende as coisas e descobriu também que o melhor jeito de aprender era brincando. A menina, que agora era grande, queria voltar a ser pequena pra aprender melhor todas as coisas, porque quando era pequena brincava melhor. Naquele tempo, no mundo onde vivia a menina, ainda não haviam inventado máquinas do tempo de verdade. Estas máquinas só existiam no Mundo da Imaginação, por isso a menina resolveu ir até lá. E quando foi, descobriu tantas histórias e aventuras que resolveu viver por lá. Mas para que ninguém sentisse sua falta no mundo real, aquele das pessoas que acham que pensar é algo que se faz apenas com a cabeça, resolveu se disfarçar de outras personagens, enquanto vivia inventando seu mundo. Mas a menina achava que depois de tantas descobertas, deveria dividir com outras pessoas as suas aventuras, tanto as lúdicas quanto as científicas (ou seriam ludicocientíficas??). A menina, que sabia que viajar pelo tempo era mais difícil para os que já eram muito adultos de coração, sabia também que viajar por outros espaços era possível. Hoje ela ensina que devemos acreditar em nossos sonhos, nos ensina que cada um tem a sua essência, seu jeito de ser, que devemos sim escutar, aprender e evoluir, mas nunca deixar de sermos nós mesmos, buscando a criança que tem dentro de casa um de nós.
   Sempre apaixonada pelas pessoas, pelas histórias e pelas músicas que contavam histórias, ela se tornou algo que poucos entendem. Algo assim...  uma contadora de histórias que nos faz acreditar que pode ser real, uma neurocientista, uma professora extraordinária, uma fisioterapeuta excelente, como poucas, uma pesquisadora,  uma escritora, uma amiga, uma pessoa diferente.... Então, assim um tanto difícil de definir, resolvemos apenas dizer que é a nossa Léla, com todas as possibilidades, histórias, loucuras, risadas, que a ludicidade a permite ser. Aaaah!! E é claro a mamãe orgulhosa e babona do Musiqueiro e do Reizinho.
   Esta é uma homenagem dos estagiários do turno da manhã da clinica Fisiounisc: Gabriela H, Joziele, Leila, Evelyn, Gregori, Eduardo, Débora, Fernando, Ruane, Nara e Rochele.
  Léla, desejamos a você um feliz aniversário (um pouquinho atrasado)!  Obrigada por existir, por fazer parte desta nossa jornada, não só por ser nossa professora, mas uma amiga.
  Beijos e ABRAÇO COLETIVOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

A PRIMEIRA FESTA SURPRESA DOS QUARENTA!!

Pois é, não teve jeito, cheguei nos “enta” pra não sair mais. Mas, sinceramente, isso nunca foi um problemão pra mim, já que inevitavelmente o tempo passa para todos. Só que este final de semestre está tão corrido, com tantos trabalhos para escrever e corrigir, mais provas, pareceres, e por aí vai... Que resolvi não fazer festa, apenas um “churras” para a família. Afinal, por que a pressa pra comemorar os “enta” se daqui pra frente eles se farão presente em todos os meus aniversários. Não é mesmo?! Pois é, eu estava decidida quanto a isso, sem falar que nem adiantaria ninguém aparecer aqui em casa, nem mesmo para um “chimas” no final da tarde, pois eu teria aula à noite. Só que... SURPRESA!!! A minha turma de Fisioterapia Neuropediátrica me preparou uma mega surpresa, com direito à sala decorada com balões, flores e bolo com velinhas!!
É muito difícil, praticamente impossível, descrever a emoção daquele momento. Não tem como explicar a tamanha alegria que me enche a alma, a série de encontros destes últimos meses que só tem me ajudado a reafirmar todas as minhas escolhas pessoais e profissionais.
A todos os meus amigos que me enviaram mensagens maravilhosas e emocionantes e também àqueles que lembraram e deixaram pra mais tarde e depois esqueceram (como eu costumo fazer tantas vezes!) e aos meus queridos alunos e estagiários que fizeram deste, um dos aniversários mais emocionantes da minha vida, um super obrigadíssimo e milhões de beijócas bem apertadas!!!

domingo, 20 de novembro de 2011

PORQUE OS SERES HUMANOS TEM NOMES

- Por favor, qual é o seu nome? – perguntou ao gato. – Olha, sou Coraline. Tá?
O gato bocejou lenta e cuidadosamente, revelando uma boca e uma língua de um rosa impressionante.
- Gatos não têm nomes – disse.
- Não? – perguntou Coraline.
- Não – respondeu o gato. – Agora, vocês pessoas tem nomes. Isso é porque vocês não sabem quem vocês são. Nós sabemos quem somos, portanto não precisamos de nomes.

(GAIMAN, Neil. Coraline. Rio de Janeiro, Ed. Rocco, 2003. p.41)

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

ANTIGAS NOVIDADES

Em um mundo onde muitas crianças aprendem a digitar antes mesmo de aprender a escrever, o que elas achariam de objetos que foram grandes novidades ontem, mas já viraram peças de museu hoje?

domingo, 13 de novembro de 2011

I-MUNDO EM SANTA CRUZ DO SUL: A VISITA DE ABS E OBS!!

Amigos, compartilho a postagem dos meus queridos amigos Fernanda Beppler e Carlos Alexandre, do Grupo Mototóti, que estiveram neste domingo aqui em Santa Cruz apresentando os alienígenas Abs e Obs para os I-Mundandos aqui de Santa Cruz do Sul.

Encerrando a jornada da semana com chave de ouro, passamos o domingo em Santa Cruz do Sul onde apresentamos i-MUndo à tarde, na linda Praça da Bandeira. Tivemos na platéia muitas pessoas que foram para ver o espetáculo, e outras tantas que foram surpreendidas. Famílias com suas cadeiras de praia, ocupavam a praça, para onde, habitualmente, já se vai com seu chimarrão passar a tarde de domingo!
Adoramos esse encontro com a comunidade que sai de suas casas para desfrutar das praças e parques da sua cidade! Quando nós podemos compartilhar com o público esses momentos de arte nas ruas, nosso dia fica mais feliz! E hoje foi assim!
Acreditamos que o fomento a espetáculos de arte de rua neste local é um projeto importante a ser desenvolvido permanentemente em Santa Cruz, e por isso queremos agradecer ao nosso parceiro SESC Santa Cruz do Sul, que cumpre esse papel com êxito, e tem um olhar atento para a continuidade desse projeto. Muito obrigado às amigas Janine e Roberta por mais esta parceria e por nos oportunizar fazer parte da vida cultural de Santa Cruz!!
Um abração com muito carinho a outra amiga querida que tivemos a alegria de conhecer recentemente: Léla Mayer! Ela nos deu a honra de sua presença, levou seu filho "fotógrafo" e fez um barulho danado por lá, colaborando com a divulgação dessa apresentação. É uma felicidade te ter como amiga Léla! Esteja conosco sempre que puder, viu!
O último abraço vai para o pessoal do Grupo Teatral Cara e Coragem, que também nos alegrou com sua presença!!!!
Carlos e Fernanda

sábado, 12 de novembro de 2011

NÃO TENHA MEDO DE SOFRER DE ALEGRIA EXCESSIVA

Acabei a poucos instantes de assistir ao filme Patch Adams mais uma vez (e chorei mais uma vez!), com a maior certeza do mundo de que todas as minhas escolhas se complementam profundamente. 
Esta semana foi uma semana carregada de encontros, reencontros e emoções. No domingo eu estava em Porto Alegre, fazendo oficina de Contação de Histórias e vivendo momentos maravilhosos ao lado de amigos que amo muito. Na segunda pela manhã, estava em sala de aula desenvolvendo práticas que ensinam a reabilitação de pacientes neurológicos. À tarde, estava de jaleco, fazendo a supervisão de estágio na Clínica de Fisioterapia da Unisc. Isso sem contar os momentos com a família. Parece maluco (pra quem não me conhece, é claro!), mas não é. Nem maluco, nem esquizofrênico, nem antagônico. 
Na segunda à tarde reencontrei a Mariana (essa história está na postagem anterior), que me abraçou muito e dois dias depois, voltando à FisioUnisc e me enchendo de abraços de novo, me disse que tinha muitas saudades das músicas que eu cantava pra ela. 
Naquele momento tive o maior reconhecimento que uma fisioterapeuta pode ter e pensei em todos os embates que travei ao longo desses 15 anos para ser a profissional que acreditava valer a pena ser. E VALEU!! A Mariana foi uma prova importantíssima de que, mesmo sempre cheia de dúvidas, segui o caminho certo. 
Hoje sou Fisioterapeuta, Educadora (daqui a pouco pedagoga) e Contadora de Histórias (tudo isso junto, ao mesmo tempo). 
Pensei nesse meu percurso enquanto revia Patch Adams e pensei que precisava fazer o registro. Principalmente porque esta semana aconteceram muitas outras coisas, como uma aluna que me perguntou se quando eu terminei a faculdade eu tinha certeza do que queria. 
Gente, eu vou fazer quarentinha daqui uns dias e agora eu começo a pensar que sei o que quero. E tenho certeza de que não quero uma coisa só. Nada de linearidades!!
Para os meus alunos da Fisioterapia me resta dizer: Não tenham medo de sofrer de "alegria excessiva", porque ela não se opõe ao conhecimento científico. O que se opõe ao aprendizado das ciências que lidam com o humano é o descaso e a indiferença. O amor e a alegria só complementa, só amplia os profissionais que podemos ser.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

CARINHO NÃO TEM PREÇO!!

Tem coisas na vida da gente que não tem preço, mesmo...
Essa aí na foto comigo é a Mariana. A Mariana, que hoje está uma mocinha, foi minha paciente na APAE a muuuitos anos atrás, quando ela ainda era bem pequena. Hoje eu reencontrei ela e me emocionei muito. A Mariana me deu muitos abraços e entre um e outro me disse assim: "Sabe que eu morro de saudades das músicas que tu cantavaS pra mim?!".
Fiquei muito emocionada e como não poderia deixar de ser, chorei!! Poucas coisas são tão boas na vida como saber que fazemos diferença na vida de alguém.
Ah!! A Mariana me contou também que ainda tem uma tartaruguinha de brinquedo que eu dei pra ela. Dá pra acreditar?!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

DIA DE FINADOS

Para mim o dia de Finados sempre foi muuuito divertido. As memórias que tenho deste dia, durante toda a minha infância, são as melhores. Tudo por causa dos meus avós. Meu avô paterno eu só conheci por fotos e pelas histórias hilárias e apaixonadas da minha vó Maria.
Por causa do vô Dantet, todo dia dois de novembro começava divertido e colorido. Eu adorava ir com a minha avó ao cemitério da cidade “visitar” o vô Dantet. Não me lembro de um dia nublado, sempre era ensolarado, com vento e muito florido. Como eu achava lindo aquele lugar tão colorido, tão cheio de cores e pasmem... Tão cheio de vida!! É isso mesmo, cheio de vida, porque no Dia de Finados tinha muito mais gente viva do que gente morta lá no Cemitério de General Câmara.
Naquela época ainda precisávamos atravessar o Rio Jacuí de balsa para ir à São Jerônimo, Charqueadas, Porto Alegre ou qualquer outro lugar do planeta. Por isso, muitos moradores de General Câmara, depois que cresciam, iam morar do outro do rio, mas sempre voltavam para “passear” no Dia de Finados. Dá pra imaginar a alegria dos reencontros lá no cemitério?! Era uma felicidade só, abraços daqui, beijos dali, novidades pra todos os lados. E as crianças logo se entrosavam e brincavam a manhã todinha. Imagine brincar de esconde-esconde num cemitério?! Maravilhoso, o que não faltava era cantinho pra se esconder.
Depois de me esbaldar brincando no Cemitério eu ia para a casa do Vô Benito, meu avô materno. Acontece que dia dois de novembro também era o aniversário do Vô Benito e por isso mesmo, DIA DE FESTA!!
O Vô Benito e a Vó Iza (Horizontina de nascimento) moravam num sítio e no dia do aniversário do Vô (que pra sorte da família caia num feriado) todo mundo se reunia, pai, mãe, irmãs, tios, tias, primos, vô, vó e outros achegados. Maravilha(!), já tinha brincado a manhã e depois de tanta diversão eu ainda ia para o sítio do meu avô comer churrasco. A tarde, mais brincadeiras, torta, doces. Dá pra não amar o Dia de Finados?!
Hoje, além do vô Dantet, o vô Benito e a vó Maria também já não estão fisicamente tão pertinho para festejar esta data. Mas, por causa deles, para mim este vai sempre ser um dia festivo, em que eu prefiro celebrar a vida, através das lembranças dos momentos vividos, do que as perdas.
Não sei ao certo se a foto ali em cima foi tirada num Dia de Finados, mas posso garantir que era um dia feliz, lá no sítio do meu avô, com meu primeiro cachorrinho, o Tobby.

sábado, 15 de outubro de 2011

GLEE - OVER THE RAINBOW

TO SIR, WITH LOVE

 
 

AOS MESTRES COM CARINHO

Hoje, aqui no Brasil, comemoramos o DIA DO PROFESSOR!!
 Mas dia do professor é todo dia, por que a gente se faz no fazer docente, não é mesmo?! Sou filha de pai e mãe professores e passei a infância querendo, entre outros sonhos infantis, ser professora. Percorri muitos caminhos, mas todos eles me levaram à pratica do ensinar e reensinar, do aprender e reaprender, do encantar e reencantar. Quando ainda criança vi muitos filmes com histórias de professores fascinantes e revolucionários e queria ser como eles. Um destes filmes (não poderia deixar de ser) foi "Ao mestre com carinho", com Sidney Poitier. Para festejar este dia nada mais apropriado do que esta cena MA-RA-VI-LHO-SA deste filme que ainda me inspira. Parabéns a todos os meus colegas de (re)encantamentos e um obrigadíssimo a cada um dos meus alunos, que dia a dia me permitem ser quem eu sou.
  

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

13 DE OUTUBRO: DIA DO FISIOTERAPEUTA!!

Hoje pela manhã, quando cheguei cedinho na FisioUnisc para trabalhar, vi os pacientes chegando com flores para os "meus" estagiários e fiquei toda orgulhosa (Dia do Fisioterapeuta e do Professor na mesma semana é uma emoção só!!). Minutinhos depois uma colega chegou com um texto sobre o Dia do Fisioterapeuta, publicado na Gazeta do Sul de hoje e escrito por um de nossos estagiários, o Fernando. Foi uma emoção imensa mesmo ler cada palavra escrita pelo Fernando e por isso resolvi presentear todos os meus amigos fisioterapeutas e futuros fisioterapeutas com este texto sensível e comemorar esta data de um jeito que eu amo tanto, com palavras!! Beijoooooooooooo!!!

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

ANIVERSÁRIO I-MUNDÍSSIMO DOS MOTOTÓTIS NA REDENÇÃO!!

Neste sábado (24/09), o grupo Mototóti completa 4 anos de vida e quem ganha o presente é o público!! Acontece que o Grupo vai comemorar com uma apresentação especial do seu novo espetáculo, às 16:00, no Parque da Redenção (Porto Alegre, RS). O grupo está convidando todos os amigos das artes para festejar junto!!
ESPETÁCULO: i-MUndo 
SINOPSE: Você, exemplar i-MUndano, está vivendo sua vida tranquilamente, quando dos céus descem dois seres alienígenas para ocupar este planeta, i-MUndo. Mas algo está errado: eles encontram i-MUndanos sobreviventes por toda parte! O que farão diante de tal tragédia? De um universo de possibilidades nasce a incerteza, o desconhecido diante dos seus olhos... sim, é verdade, eles estão aqui. Não há mais segredos. Você não está mais sozinho.
Realização: Grupo Mototóti http://www.motototi.com.br/

Amigos, eu conheci a Fernanda e o Carlos Alexandre durante a 24ª Feira do Livro aqui de Santa Cruz do Sul (RS), eles são talentosíssimos e gente finíssima!!
Eu recomendo os Mototótis!!

terça-feira, 20 de setembro de 2011

A BIOGRAFIA DO ELEFANTE BASÍLIO

A imagem aí ao lado não é da melhor qualidade, mas é esta a capa do livro que acabei de ler hoje para meus filhotes. Quando eu era criança eu tinha o livro, mas já nem lembrava mais da história do Elefante Basílio. 
Dia desses entrei num Sebo, em Porto Alegre, e me deparei com o livro novamente, igualzinho ao que eu tinha na infância. Não resisti!!
Comecei a ler a história para o João e para o Arthur outro dia e terminei hoje. Não vou contar a história aqui, até porque ela é bem comprida, mas é fantástica (como se o Érico Veríssimo precisasse de referência ou elogiu ...)!
Nossa, quantas coisas eu e o João conversamos durante essa leitura!! Eu descobri, por exemplo, que o casal de elefantes que viajou na Arca de Noé eram os "tataravós dos tataravós dos bisavós dos avós dos tataravós dos trisavós dos tataravós dos bisavós dos avós do tataravô do Elefante Basílio". E mais, eu que nunca entendi porque é que a Arca de Noé se chamava assim, descobri que Arca é uma Barca sem o "B". Simples, não?!
O João descobriu o que é uma biografia, pois o livro começa explicando que "Biografia é a história da vida duma pessoa, dum animal ou duma coisa". Já que o livro que lemos conta a história da vida do Elefante Basílio, ele é uma biografia.
O Arthur ajudou com a sonoplastia da história!!
Mais tarde (já que hoje é feriado aqui no Rio Grande do Sul) assistimos ao DVD dos clipes do "Palavra Cantada" e o João quando viu esse  clipe ... 
Descobriu que uma biografia também pode ser cantada (e divertida)!
O tempo (clima) tá chato aqui em Santa Cruz do Sul, mas o tempo (cronológico) está muito bem aproveitado!! 

domingo, 18 de setembro de 2011

V SEMINÁRIO REGIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL (UNISC)

V Seminário Regional de Educação Infantil

Objetivo: O evento é promoção do Núcleo de Educação Básica e do Programa de PG - Mestrado em Educação e visa a continuidade do processo de discussão e interlocução em torno do tema Infância e Educação de Crianças na Universidade de Santa Cruz do Sul através da divulgação de projetos de pesquisa, ações educativas, produções acadêmicas e culturais desenvolvidas em diferentes áreas do conhecimento.

Público: Comunidade acadêmica, profissionais da infância e da educação básica, educadores, psicólogos, assistentes sociais, conselheiros municipais, Ministério Público, redes de proteção à infância e comunidade em geral.Inscrições: de 20 de agosto a 21 de setembro de 2011 através do site www.unisc.br e na Secretaria de Pós-Graduação e Extensão – Sala 110 – Bloco 1 – UNISC   Valor: R$ 35,00  INFORMAÇÕES: Núcleo de Educação Básica e Departamento de Educação/UNISC Fone: (51) 3717-7372 ou 3717-7373. Será fornecido certificado de 32 horas.


PROGRAMAÇÃO

Quarta-feira - 21/09/11
13h30m - Credenciamento
14h – FEIRA DO LIVRO INFANTIL
14h30min – Roda Poética: Poesia
Grupo de Estudos Poéticos/UNISC
Local: Centro de Convivência – Campus Central UNISC
19h - Painel: Os bebês e a Pedagogia dos Começos: um lugar para as primeiras relações e experiências
Rachel Freitas Pereira/UFRGS
Paulo Sergio Fochi/UFRGS
Local: Auditório Central

Quinta-feira - 22/09/11
8h30min - Painel: A contenção do brincar na infância
Profª Drª Betina Hillesheim/UNISC
Profª Ms. Valeria Neves Kroeff Mayer/UNISC
Profª Drª Sandra Regina Simonis Richter/UNISC
Local: Auditorio Central da UNISC
14h - FEIRA DO LIVRO INFANTIL
14h30m – Roda Poética: Cantada
Prof. Dr. Eduardo Guedes Pacheco/UNISC
Local: Centro de Convivência – Campus Central UNISC
19h – Painel: Diálogos sobre a ação pedagógica com bebês: o uso dos livros e dos diferentes espaços da escola de Educação Infantil
Carolina Gobbato/UFRGS
Rosele Guimarães/UFRGS
Local: Auditório Central

Sexta-feira - 23/09/11
8h30min – Babies: Documentário dirigido por Thomas Balmes.
9h30m – A infância na UNISC
Drª Ana Luisa Teixeira de Menezes
Local: Anfiteatro do Bloco 18 - UNISC
14h - FEIRA DO LIVRO INFANTIL
14h30m – Roda Poética: Contação de Histórias
Grupo de Pesquisa Linguagens, cultura e educação/UNISC e Léla K. Mayer
Local: Centro de Convivência – Campus Central UNISC
19h Escola da infância: qual currículo?
Profª Ms. Hildair Camera/UFRGS
Profª Drª. Sandra Regina Simonis Richter
Local: Anfiteatro do Bloco 18

PORQUE A METADE DE MIM É AMOR ... E A OUTRA METADE TAMBÉM.

Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio


Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito
Mas a outra metade é silêncio.


Que a música que ouço ao longe
Seja linda ainda que tristeza
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade.


Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas
Como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo.


Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço
Que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que eu penso mas a outra metade é um vulcão.


Que o medo da solidão se afaste, e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.

Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso
Que eu me lembro ter dado na infância
Por que metade de mim é a lembrança do que fui
A outra metade eu não sei.


Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
Pra me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço.


Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
Porque metade de mim é platéia
E a outra metade é canção.


E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade também.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Lição bacana do Caio Riter!!

Estou aqui, organizando as idéias e os recursos para o Workshop "A importância do conto nos processos de letramento", que farei em Porto Alegre no dia 24 de setembro. Entre as referências estão duas muito especiais - "Acordais: fundamentos teórico-poéticos da arte de contar histórias", da Regina Machado; e "A formação do leitor literário em casa e na escola", do Caio Riter. Muitas são as lições maravilhosas que estes dois autores nos ensinam. Uma delas eu aproveito para compartilhar:

















“Passo importante para a formação de um leitor é ouvir histórias. Se possível, desde muito, muito cedo. Histórias contadas vão entrando na gente feito carinho, feito seiva em árvore que precisa crescer, desenvolver-se, a fim de dar flores, frutos, sombra. Leitores são árvores frutíferas. Familiares (e educadores) contadores de histórias são seiva que alimentam, que despertam o broto naquelas sementes carentes de tudo, que somos nós quando crianças” (Caio Riter, 2009).
 

sábado, 27 de agosto de 2011

ABERTURA DA 24ª FEIRA DO LIVRO DE SANTA CRUZ DO SUL

Hoje pela manhã, durante a abertura da 24ª Feira do Livro de Santa Cruz do Sul (RS) eu recebi o carinho especial das professoras da Escola Educar-se. As meninas me pediram para contar uma história. Eu gostei da idéia, pois contar histórias para gente grande tem sido muuuuuito bacana também. Contei a história "A serpente e o vagalume", uma das "Quatorze pérolas da Índia", escritas pelo talentosíssimo e querido Ilan Brenman. Outras pessoas foram se juntando ao grupo e a vivência foi inexplicavelmente afetiva.
Obrigada, muito obrigada, meninas!!


segunda-feira, 22 de agosto de 2011

HOJE É DIA DO FOLCLORE BRASILEIRO

Uma pesquisa para o João, que me fez muitas perguntas sobre Folclore quando cheguei em casa hoje...

O que é esse tal de folclore?
Podemos definir o folclore como um conjunto de mitos e lendas que as pessoas passam de geração para geração. Muitos nascem da pura imaginação das pessoas, principalmente dos moradores das regiões do interior do Brasil. Muitas destas histórias foram criadas para passar mensagens importantes ou apenas para assustar as pessoas. O folclore pode ser dividido em lendas e mitos. Muitos deles deram origem à festas populares, que ocorrem pelos quatro cantos do país.
As lendas são estórias contadas por pessoas e transmitidas oralmente através dos tempos. Misturam fatos reais e históricos com acontecimentos que são frutos da fantasia. As lendas procuraram dar explicação a acontecimentos misteriosos ou sobrenaturais.
Os mitos são narrativas que possuem um forte componente simbólico. Como os povos da antiguidade não conseguiam explicar os fenômenos da natureza, através de explicações científicas, criavam mitos com este objetivo: dar sentido as coisas do mundo. Os mitos também serviam como uma forma de passar conhecimentos e alertar as pessoas sobre perigos ou defeitos e qualidades do ser humano. Deuses, heróis e personagens sobrenaturais se misturam com fatos da realidade para dar sentido a vida e ao mundo.

Criação da data
O Congresso Nacional Brasileiro, oficializou em 1965 que todo dia 22 de agosto seria destinado à comemoração do folclore brasileiro. Foi criado assim o Dia do Folclore Nacional. Foi uma forma de valorizar as histórias e personagens do folclore brasileiro. Desta forma, a cultura popular ganhou mais importância no mundo cultural brasileiro e mais uma forma de ser preservada. O dia 22 de agosto é importante também, pois possibilita a passagem da cultura folclórica nacional de geração para geração.

Comemorações
O Dia 22 de agosto é marcado por várias comemorações em todo território nacional. Nas escolas e centros culturais são realizadas atividades diversas cujo objetivo principal é passar adiante a riqueza cultural de nosso folclore. Os jovens fazem pesquisas, trabalhos e apresentações, destacando os contos folclóricos e seus principais personagens. É o momento de contarmos e ouvirmos as histórias do Saci-Pererê, Mula-sem-cabeça, Curupira, Boto, Boitatá, etc.



sábado, 20 de agosto de 2011

VAMOS AJUDAR À ROSALINA E VERDOLINA!!

Essas duas pessoinhas coloridas aí são a Rosalina e a Verdolina. Ops!! São a Fábia e a Adriana, contadoras e histórias incríveis e minhas amigas queridas.
A Rosalina e a Verdolina. Ops!! A Fábia e a Adriana, moram em Tubarão (SC) e vinham desenvolvendo um trabalho MA-RA-VI-LHO-SO, chamado "Viajando com as histórias do baú". Neste projeto as meninas visitavam escolas e instituições levando muito encantamento para as crianças e adultos que tiveram oportunidade de assistir às contações de histórias realizadas por elas.
Rosalina e Verdolina infelizmente não estão mais divertindo as crinças e adultos lá de Tubarão, por isso precisam de ajuda para voltarem a iluminar o coração das pessoas.
As meninas precisam de apoio e ajuda para que possam voltar a encantar as pessoas e seus sorrisos. Por isso peço que às ajudem enviando uma solicitação a ouvidoria da câmara de vereadores de Tubarão e aos meios de comunicação para que o Projeto Viajando com as histórias do baú retorne.


Segue uma sugestão de texto:

Gostaria de solicitar o retorno do Projeto de Contação de Histórias "Viajando com as histórias do baú", desenvolvido pelas professoras Adriana Medeiros e Fábia Barbosa Pedro, do município de Tubarão (SC).
A visita das professoras com seu baú de histórias às escolas e outros estabelecimentos trouxe sempre muito encantamento para as crianças e adultos que tiveram oportunidade de assistí-las. Através do universo das histórias, todos conseguem entrar num mundo imaginário, onde tudo pode acontecer, despertando emoções muitas vezes reprimidas. Nesta perspectiva o contar histórias, que por só é lúdico, torna-se também terapêutico.
Agradeço desde já e conto com o apoio dessa Casa para que o projeto "Viajando com as histórias do baú" volte a atender as escolas do município de Tubarão.
Atenciosamente,
....

Sites da ouvidoria e meios de comunicação:

Eu já enviei o meu e-mail. Mande você também!!
Fábia e Adriana, vcs merecem nosso apoio!!
Beijo Grande!!
Léla

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

HOJE É DIA DO ESTUDANTE


Todo ano, no dia 11 de agosto, é comemorado do DIA DO ESTUDANTE. Mas não é por acaso, essa data tem uma história. Acontece que no dia 11 de agosto de 1827, D. Pedro I criou no Brasil os dois primeiros cursos de Ciências Jurídicas e Sociais do país, um em São Paulo e o outro em Olinda. Dom Pedro I fez isso para facilitar a vida de quem quisesse estudar. Assim, as pessoas não precisavam atravessar o Oceano, indo até Portugal, onde ficava a faculdade mais próxima, lá em Coimbra. Cem anos mais tarde Celso Gand Lev propôs uma homenagem a todos os estudantes do país. Por esta razão, desde 1927, comemora-se, no dia 11 de agosto, o “DIA DO ESTUDANTE”.
A todos os eternos estudantes, que não se cansam de aprender com a vida, um super abraço!!
E um abraço especial para os meus queridos alunos!!

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

TEMA DE CASA

A pouco cheguei em casa e meu filho João, de 7 anos, veio me contar que já havia feito o tema de casa.
Perguntei qual era o tema. E ele disse: "Ah! Era só desenhar o Planeta Júpiter".
Perguntei então se ele sabia como era o Planeta Júpiter. E ele me respondeu: "Fácil mãe, liguei o computador, entrei no Google, cliquei em imagens e escrevi Júpiter".
Não adianta, essa é outra geração!!
E a Escola, que se prepare para ela!!

domingo, 31 de julho de 2011

A HISTÓRIA DO AMOR PERFEITO

Estou lendo "Sonho de uma noite de verão" (Shakespeare, adaptado por Ana Maria Machado) e amei essa história que vou compartilhar:
Numa noite em que as estrelas desciam do céu e pousavam nos galhos das árvores para enfeitá-las como velas acesas, desceu do céu também o Cupido, voando com suas armas em direção à Terra. Ele soltou uma afiada flecha amorosa de seu arco, mirando uma sacerdotisa que meditava no templo erguido entre as árvores. Mas Cupido errou sua pontaria, e a flecha, em chamas, foi parar no campo que se estendia além da floresta, acertando uma florzinha branca como o leite. Imediatamente a flor ficou roxa, ferida pelo amor. Essa flor é até hoje conhecida como AMOR PERFEITO.

SEGUINDO OS PASSOS DA TIA!!!

Essa figurinha aí é o Lucca, meu sobrinho. Contam que ele anda seguindo meus passos e contando histórias mundo a fora. Ele é tão talentoso que já inventou a sua primeira história, que diz assim:
"Era uma vez um lobo mau, que era muito mau!" FIM
Não é genial?!
Que orgulho da titia!!!